Pesquisa da Thomson Reuters ouviu diversos executivos do setor

A Thomson Reuters, realizou uma sondagem qualitativa com exclusividade ao Guia Marítimo, com o objetivo de identificar a opinião dos profissionais de Comércio Exterior sobre a Infraestrutura dos portos. A sondagem ouviu cerca de 60 executivos da área que atuam em grandes empresas dos segmentos automotivo, aeronáutico, telecomunicações, informática, eletroeletrônico, construção civil, commodities, tradings, serviços de comércio exterior, agroindústria, varejista, farmacêutico, saúde, petróleo e gás, entre outros e revelou que:

Em linhas gerais a atual infraestrutura dos portos no mundo foi classificada:

                   Ruim              Mediana              Boa     Ótima
Brasileiros 41% 46% 13% 0%
Americanos 0% 10% 67% 23%
Asiáticos 0% 16% 41% 43%
Europeus 0% 7% 44% 49%
Indianos 23% 58% 17% 2%

Sobre a comparação dos portos brasileiros e estrangeiros, as maiores deficiências de portos brasileiros apontadas (pergunta que permitiu múltipla escolha) foram:

  • 65,5% acessos
  • 56% calado
  • 41% armazenagem
  • 29,5% mão de obra
  • 44% terminais
  • 79% burocracia
  • 88,5% custos

Os entrevistados revelaram ainda que 47% apostam que os processos de comercio exterior seriam melhorados com um controle interligado com os agentes de cargas para reserva de praça. Quando questionados sobre a suspensão/isenção da taxa Adicional ao Frete para Renovação da Marinha Mercante para empresas que utilizam os Regimes Aduaneiros Especiais no Brasil, 44% revelou estar ciente e utilizar, 30% revelou conhecer mas não utilizar e 26% desconhece esse benefício.

Fonte: Guia Marítimo